Translate

Pesquisar este blog

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

FIBROMIALGIA

FIBROMIALGIA
Arrependimento pela omissão ou pela dedicação excessiva aos outros.




O termo fibromialgia significa dores nos músculos, afetando também os ligamentos e tendões. Outra definição é síndrome dolorosa crônica. Essa doença acomete principalmente as mulheres entre 30 e 50 anos.

O diagnóstico é difícil em razão de suas características específicas. Até o momento, a síndrome de fibromialgia não aparece nos exames laboratoriais, por isso o diagnóstico depende principalmente das queixas ou das sensações corporais que a pessoa relata ao médico.

Os principais sintomas associados à fibromialgia são: dor difusa e generalizada pelo corpo, presença de onze a dezoito pontos dolorosos, fadiga, rigidez matutina, alterações do sono.

Para ser caracterizados como fibromialgia, esses sintomas devem estar ocorrendo nos últimos três meses. Por se tratar de um processo de dores musculares, o padrão metafísico (emocional) equivale ao descrito no item anterior, mas numa intensidade muito maior do que aquela apresentada nas dores musculares.

Na fibromialgia, a pessoa sente-se extremamente arrependida por ter sido omissa nas situações passadas, vítima da falta de apoio e de consideração dos outros.

Foi displicente com as necessidades próprias para atender às solicitações alheias; arrepende-se por ter feito para os outros aquilo que deveria ter feito para si mesma.

Encontra-se angustiada por não ter tomado as medidas cabíveis que mudariam todo o curso de sua vida.

Esses sentimentos corroem a pessoa, comprometendo a capacidade de atuar na realidade presente e impedindo-a de alterar os acontecimentos desagradáveis.

Ela imagina que, se tivesse agido de outra maneira, as coisas não estariam tão confusas.

No passado houve muitas chances, mas ela não contava com o incentivo daqueles que estavam à sua volta. Por isso não assumiu uma conduta diferente, fazendo o que era necessário naquela época.

Sem apoio, não teve força para agir.

Hoje não se conforma por ter se omitido tanto e ter delegado poder a quem não fez jus à confiança depositada nela.

O que essas pessoas precisam compreender é que Não tinham firmeza suficiente para encarar uma situação e atuar nela sozinhas, pois não contavam com a colaboração dos outro.

Não eram independentes nem determinadas para ousar proceder de maneira contrária àquilo que era estabelecido no meio em que viviam.

Tinham também as crenças que foram incutidas pela sociedade, dificultando ainda mais suas ações. Por causa delas, sentiam-se culpadas quando tinham de desagradar alguém ou não podiam atender aos caprichos dos outros.

A atitude de se auto-condenar com as cobranças é tomada porque a pessoa na leva em consideração seus próprios limites daquela ocasião, pois ela não era madura o suficiente para um confronto com algo tão radicalizado na realidade ou com alguém de grande expressão no ambiente.

O constrangimento absorve aquele que não se dá força nem cultiva o auto-apoio. Mas isso é conquistado com o tempo, faz parte do processo de amadurecimento, que soma experiências, elevando a auto-estima, despertando o amor-próprio e fortalecendo a segurança, até que finalmente a pessoa está apta a tomar as rédeas da própria vida.

Assim que começa a agir e promover muitas mudanças, experimenta a agradável sensação do poder sobre o próprio destino.

Nesse momento começam a surgir alguns pensamentos torturantes, como:

“Por que só agora?”, “Quanto tempo perdido!”, “Como fui ingênua e ter acreditado nos outros a ponto de delegar a eles o poder de me fazer feliz!”

Essas atitudes, em vez de fortalecer a pessoa e beneficiar sua nova condição de vida, ao contrário, enfraquecem-na.

Esses pensamentos vão minando a atuação no presente, dificultando recuperar tudo que foi perdido e impedindo a conquista de resultados promissores na vida profissional ou afetiva.

Esse estado interior se intensifica a ponto de se tornar uma condição dolorosa, desencadeando o processo somático em forma de fibromialgia.

Consciente de sua realidade, é preciso ser madura o suficiente para não se deixar consumir pelos fracassos nem pelos sentimentos de derrota.

Também não se deve apoiar na doença para justificar a dificuldade e atuar nas situações ao redor.

Mais do que nunca, a pessoa precisa de disposição e muita energia para reverter as coisas ruins da realidade e criar novas oportunidades.

LEMBRE-SE: 
Tudo ocorre no momento oportuno; nunca é tarde para agir e mudar o curso de nossa xistência. 

Para conquistar aquilo que almejamos, precisamos ter disposição para agir, vivacidade para estabelecer vínculos que venham a se somar aos nossos propósitos e, principalmente, sustentação interior para consolidar nossas conquistas na vida.

Antes éramos entusiasmados com tudo, mas não tínhamos maturidade para agir com coerência nem vivacidade suficiente para os esquivar de certas coisas que atrapalham nosso progresso.

Alcançar prematuramente os objetivos antes de ter um aprimoramento interior, necessário para manter aquilo que foi conquistado, pode ocasionar seguidas perdas.

Mais importante do que conquistar algo na vida é mantê-lo, estendendo aquilo por longos períodos, perpetuando algo de bom, como a felicidade ou te algum bem material.

ACREDITE:

Você nunca esteve tão preparado para o sucesso como agora.

Inicie uma nova trajetória, manifestando seu potencial.

Revele na realidade os potenciais latentes em sua alma.

Dessa maneira você não se fere, mas fortalece seu interior, aprimorando a capacidade realizadora e criando condições para se tornar uma pessoa realizada e feliz.

Há certas atitudes que são extremamente importantes para ser praticadas, como fazer aquilo que gosta e o que realmente dá prazer.

Mesmo sendo pequenos gestos, já representam significativos passos para se obter a satisfação pessoal a vida.

(Extraído do Livro Metafísica da Saúde - Vol. 3- Valcapelli e Gasparetto)
 

30 comentários:

  1. texto muito oportuno..valeu por uma consulta psicologa...me vi nas palavras...agora falta decidir, agir...se nao fui capaz antes, agora carrego outras"doenças", mas nunca é tarde para viver !

    ResponderExcluir
  2. Eu sofro disso, fibromialgia. É horrível, debilitante. Você fica impotente pra tudo. Até pra trabalhar ou se divertir. Andar pela casa. Pentear os cabelos. Escrever. Qualquer coisa!!!!!! Muito sofrimento. :'(

    ResponderExcluir
  3. Nunca me descreveram exatamente como me que sinto, meus pensamentos e minha dores. É realmente horrível,as dores não passam. estou assim há 4 meses já.....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. LEMBRE-SE:
      Tudo ocorre no momento oportuno; nunca é tarde para agir e mudar o curso de nossa xistência.

      Excluir
    2. olá, busque ajuda na medicina complementar, massagem, acupuntura!! Deus abençoe!!!

      Excluir
    3. tenho fibromialgia a pelo menos uns 3 ou 4 anos entre outras doenças e como já escreveram,fica difícil escrever a mão,lavar cabelo tomar banho ou lavar um banheiro ou limpar o próprio quarto,estou no começo do processo de minha tentativa de viver um poco melhor.Recebo massagem semanal mas meu corpo anda tão dolorido que o massagista nem consegue fazer muito,agora vou fazer acupuntura com amigos e mocha bustão para me ajudar melhor

      Excluir
  4. Foi descrito minha vida....certíssimo.

    ResponderExcluir
  5. Só é pena que todo esse otimismo não tira as dores...nem todos os outros sintomas da fibromialgia...a mudança de pensamento não faz com que a pessoa fique curada e a fibromialgia desapareça...

    ResponderExcluir
  6. Cristiane B.Alves20 de maio de 2015 22:04

    Falar do ponto de vista da piscologia e lindo . À realidade que vivo 11 anos de fibromialgia e 5 de dor neuropatica , 11dedepressão não e nada disso , dor que sinto e física não emocional , sei que eu sinto na pele e osso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cristiane! Tenho fibromialgia Há 17 anos, Tomo medicação, o que me ajudou muito! Pilates também irá ajudá-la para diminuir suas dores, mas acima de tudo, converse com Deus, diga-lhe como se sente, o que pensa, Deus não vai se ofender, Ele quer que você abra o seu coração para Ele!

      Excluir
    2. Tbém tenho fibromialgia há alguns anos, tive depressão a vida toda, porém hj em dia posso dizer que estou curada, já tomei medicação, fiz psicoterapia, tive pensamentos horríveis a respeito da vida...
      Mas hoje estou livre, não tenho mais depressão, me livrei das medicações, inclusive não tomo nem remédio para a fibro, o que fiz?? Mudei meu padrão vibracional, procurei me religar com Deus, encontrei uma religião que me faz bem, procurei um sentido maior na vida, parei de me fazer de vítima e passei a ser protagonista dos meus dias, que vivo um após o outro, sem neuras ou cobranças, ainda faço terapia só para ter um profissional para conversar e hj sou muito feliz. Continuo tendo dores da fibromialgia, mas com menos intensidade e consigo me controlar melhor e qdo vejo que estão muito fortes, tomo um analgésico e vou fazer algo que gosto... enfim... quem faz a cura somos nós mesmos, é só querer... temos uma força interior imensa. é só querer usá-la. Paz e luz e melhoras!!!

      Excluir
    3. Li sua opinião., estou na mesma situação..faço trrspia, fisioterapia 2×semaba (para avalisr dores que reaosrecem), tomo medicação e de dacto vivo adsim à 22 anos., começou muito cedo em mim. Hoje tenhi 62 anos e só deixei de trabalhar a 5 anos , não me aceitavam com 57 anos a reforma, então pedi licença por doença s/vencimento. Era impossível cumprir horários e cumptir certas tsrefas.na altura..as chefias eram intolerantes e repressivas para comigo. Sinda dogria mais. Hoje há legislação nesse sentido...consigo viver porque filhos já formados e marido. Trabalha a dobrar.
      Este é o meu testemunho de vida...tenho família que me apois ...mas tenho Dias Difíceis como todos...mas tenho Fé e Esperança .Isabel.P.R.

      Excluir
  7. Obrigada ! Falo noite dia com Deus , CE ainda vivo e pôr quê ele e presente em minha vida !!!! Depressão bipolar é genética! Quê causa a fibromialgia! Não e piscologico e real e funcional.

    ResponderExcluir
  8. Quais os tratamentos q vcs utilizam?oque ajuda mais?

    ResponderExcluir
  9. Aconselho acompanhamento Psicológico e Ortomolecular com mudança na alimentação. Evitar todo o tipo de carne animal.

    ResponderExcluir
  10. eu melhorei das dores com cloreto de magnésio PA que é´da medicina ortomolecular mais antridepressivo, exercícios físicos e psicoterapia mas, as vezes tenho recaída

    ResponderExcluir
  11. Texto muito bom. Parabéns a quem publica matérias "positivas", que nos ajudam a enfrentar as dificuldades e até mesmo as doenças que sempre aparecem em nossas vidas. Mesmo as doenças genéticas Cristiane, não fogem ao poder e à misericórdia de Deus. O Anônimo deu dicas fabulosas. Aproveite Cris, e você terá uma vida bem mais saudável e feliz.

    ResponderExcluir
  12. Estou descrita nesse texto! Tenho fibromialgia há 12 anos e depois de ler o texto vou tomar as rédeas da minha vida, pois a única coisa que não fiz nesse tempo foi isso. Já que os remédios não resolveram, quem sabe isso resolva! ; D

    ResponderExcluir
  13. Vi toda minha vida escrita. Hoje, sou uma pessoa, com transtorno emocional, depressão, síndrome do pânico e ansiedade generalizada. Tomo medicação controlada, mas tenho recaídas. Quanto às dores do meu corpo, são minhas companheiras fiéis. Tenho 50 anos, com vontade de viver mais as vezes, me entristeço. As dores me incomodam, bastante. Só eu e Deus, sabe como eu consigo viver.

    ResponderExcluir
  14. Tive o diagnóstico de fibro a 24 anos atrás, e sinceramente, não concordo com este aspecto psicologico que ele leve a doença e sim ao contrário, que as dores e que levam a pessoa com fibro a ter desequilíbrios emocionais, pois conviver com as dores 24 horas não é nada facil, e a falta de informação e o despreparo de profissionais que deveriam nos ajudar, que nos tratam como desequilibrados emocionais e não como pessoas que precisam de medicações e tratamento é que realmente ficamos ainda mais perdidos, sugiro aos portadores de fibromialgia que se informem pois a fibromialgia não é doença psicológica é fisica e tem tratamento. Força.

    ResponderExcluir
  15. Tenho 26 anos e convivo a um ano com dores horríveis no meu corpo inteiro, passando em um ortopedista o mesmo me informa que as queixas são mais para um diagnóstico clinico, sinto dores em meu corpo todo, as costas, a nuca, os cotovelos, punhos, na lombar, dói tudo, até se respira dói. Estou a procura de um especialista em Reumatologia ou Neurologia para iniciar o tratamento, o médico disse que os sintomas sentido são de Fibromialgia, porém desejo um tratamento onde eu não precise tomar antidepressivos, trabalho e estudo, já utilizei antidepressivos a 6 anos atrás e eu fico pior tomando os remédios, parece que tiram as nossas forças, não tenho vontade de nada. Gostaria de saber com vcs meus caros colegas de fibro se vcs podem me indicar um profissional da área de reumatologia ou neurologista aqui em SP. obrigada.
    Renata

    ResponderExcluir
  16. Tenho 26 anos e convivo a um ano com dores horríveis no meu corpo inteiro, passando em um ortopedista o mesmo me informa que as queixas são mais para um diagnóstico clinico, sinto dores em meu corpo todo, as costas, a nuca, os cotovelos, punhos, na lombar, dói tudo, até se respira dói. Estou a procura de um especialista em Reumatologia ou Neurologia para iniciar o tratamento, o médico disse que os sintomas sentido são de Fibromialgia, porém desejo um tratamento onde eu não precise tomar antidepressivos, trabalho e estudo, já utilizei antidepressivos a 6 anos atrás e eu fico pior tomando os remédios, parece que tiram as nossas forças, não tenho vontade de nada. Gostaria de saber com vcs meus caros colegas de fibro se vcs podem me indicar um profissional da área de reumatologia ou neurologista aqui em SP. obrigada.
    Renata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi tenho fibromialgia a muito anos. Morava em SP mas fugir do frio. Eu fazia tratamento com um reumatologista otima, dra: Karina Dubeux B. C. da Cunha. Ela atendia na Rua Joaquim Nabuco, 47. Fone: 5093-7313/5093-9194

      Excluir
  17. Tenho 26 anos e convivo a um ano com dores horríveis no meu corpo inteiro, passando em um ortopedista o mesmo me informa que as queixas são mais para um diagnóstico clinico, sinto dores em meu corpo todo, as costas, a nuca, os cotovelos, punhos, na lombar, dói tudo, até se respira dói. Estou a procura de um especialista em Reumatologia ou Neurologia para iniciar o tratamento, o médico disse que os sintomas sentido são de Fibromialgia, porém desejo um tratamento onde eu não precise tomar antidepressivos, trabalho e estudo, já utilizei antidepressivos a 6 anos atrás e eu fico pior tomando os remédios, parece que tiram as nossas forças, não tenho vontade de nada. Gostaria de saber com vcs meus caros colegas de fibro se vcs podem me indicar um profissional da área de reumatologia ou neurologista aqui em SP. obrigada.
    Renata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renata Santos faço tratamento com especialistas no hospital das clinicas no grupo de dor cronica lá tem a fisiatra que é especialista no assunto,mas tem que ter encaminhamento do medico,no seu caso não sei como você poderá conseguir isso,mas lá acho que seja o melhor lugar porem você passara por toda uma equipe completa com neuro psiquiatra,nutricionista,assistente social e ai vai boa sorte.

      Excluir
  18. SINTO ISSON TUDO ACIMA

    ResponderExcluir
  19. Bom dia gente. Texto muitíssimo interessante. Tempo fibromialgia há 15 anos, tomo remédio, ja fiz varias coisas p melhorar. O que posso dizer da minha experiência é q ela tem um gatilho em cada pessoa. O meu é a minha relação com o dinheiro, a crença de q nunca vou ter dinheiro p nada. E a sua? Vc consegue identificar? Terapia é melhor opção, se o mundo imaginasse como os psicólogos são importantes, seriam prescritos antes dos remédios, p qualquer doença. Um abraço a vcs

    ResponderExcluir
  20. Tenho Fibromialgia desde os dez anos de idade,e digo mais,eu apanhei muito de minha mãe,porque pensavam que eu tinha preguiça,e com isso sofri a beça,pois eu não podia expressar minhas dores e minhas emoções.Piorou muito depois que um parente bem próximo tentou abusar de mim,meu mundo desabou,ninguém me compreendia ou ainda continuo sem ser compreendida,estava sem perspectiva de vida, estive com depressão,fiz tratamento psiquiátrico dois anos,e tudo continuava do mesmo Jeito.Quando uma luz brilhou dentro de mim,fazer algo na minha vida que gostasse ou que me sentisse bem,pois estou quase com 06 anos sem trabalhar,aí pensei em cursar uma faculdade, deu tudo certo.Hoje estou no segundo período de Psicologia,estou muitíssimo feliz.e aos poucos vou superando meus problemas.Só não sou mais feliz porque meu marido não me ajuda em nada,só me deixa pior em relação ao meus sentimentos,me magoa me cobra muito,e com isso me acho impotente.Mas vou decidir oque fazer com minha vida sentimental,aprendi que o amor próprio impera em primeiro lugar.só quis contar um pouquinho do meu dilema do dia á dia.Beijos no coraçãozinho de cada um!

    ResponderExcluir
  21. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir